Ptose Palpebral Congênita

ptose congênitaQuando uma pálpebra caída está presente no nascimento ou no primeiro ano de vida essa condição é chamada de ptose congênita. Na maioria dos casos de ptose congênita, o problema é estético e não afeta a visão.

Mas quando a pálpebra cobre a pupila será necessário corrigir essa situação, porque se a visão de um olho é prejudicada durante o desenvolvimento da criança o cérebro não estabelece uma ligação adequada com aquele olho.

A correção da Ptose Congênita

A cirurgia para correção da ptose congênita é um dos desafios mais difíceis que os oftalmologistas enfrentam e o sucesso da cirurgia depende muito da experiência do médico. Vários procedimentos cirúrgicos estão disponíveis e a escolha de uma técnica depende de vários factores, incluindo o grau da ptose, os motivos causadores da ptose, a etnia e a idade do paciente. A ptose congênita pode ser corrigida em qualquer idade, inclusive em adultos.

A ptose congênita é geralmente unilateral (70%), mas pode ser bilateral. Pode estar associada com problemas em um ou mais dos músculos extra-oculares e outras condições sistêmicas.

criança com ptose palpebral congênitaCrianças com formas mais graves de ptose sofrem de visão obstruída em seus quadrantes visuais superiores e frequentemente necessitam de intervenção cirúrgica para elevar suas pálpebras.

A ptose congênita pode estar associada a outros problemas visuais, como a miopia, astigmatismo, anisometropia, ambliopia e estrabismo.

Após uma cuidadosa análise e diagnóstico do grau e tipo da ptose congênita, o Dr. Henrique Kikuta discutirá com os pais da criança ou quando o portador é adulto a melhor opção cirúrgica.

Assista ao vídeo em que o Dr. Henrique Kikuta explica como é feita a cirurgia para correção da ptose palpebral congênita.

Vídeo subtitulado en español

Video with english subtitles