Blefaroespasmo e Hemiespasmo Facial

blefaroespasmoO blefaroespasmo é caracterizado pelo fechamento involuntário das pálpebras de forma intermitente ou persistente, devido a contrações espasmódicas dos músculos orbicular. Outros músculos da face e do pescoço também são freqüentemente envolvidos.

O termo blefaroespasmo pode ser aplicado a qualquer piscar anormal, tique ou contração da pálpebra resultante de olhos secos, síndrome de Tourette ou discinesia tardia.

A gravidade do blefaroespasmo pode variar de um piscar freqüente e repetido a um fechamento tão forte e persistente das pálpebras que pode provocar cegueira funcional.

O blefaroespasmo está associado com uma função anormal do gânglio basal, que é a parte do cérebro responsável pelo controle dos músculos.

A maioria das pessoas que desenvolve blefaroespasmo não tem sintomas de alerta, o problema pode começar com um aumento gradual do piscar ou uma irritação nos olhos.

Para algumas pessoas as causas do blefaroespasmo podem ser cansaço, tensão emocional ou sensibilidade à luz brilhante.

O blefaroespasmo atinge duas vezes mais mulheres que homens e geralmente se desenvolve depois dos 60 anos. 

Conforme a doença progride, os sintomas tornam-se mais freqüentes. O blefaroespasmo pode diminuir ou até parar, se a pessoa está dormindo ou se concentrar em uma tarefa específica.

toxina botulínica para blefaroespasmo

Um dos tratamentos mais eficazes para blefaroespasmo são injeções regulares de toxina botulínica em pontos específicos, que bloqueiam os impulsos dos espasmos. Os pacientes vão ter alívio dos sintomas 2 a 5 dias após a injeção, com uma duração média do alívio de sintomas de 3 meses.

A experiência pessoal do Dr. Henrique Kikuta é que 5% dos pacientes tratados sentem alívio por mais de 6 meses, embora alguns pacientes necessitem de injeções mensais.

Pacientes em estágio avançado de blefarospasmo que não respondem à toxina botulínica são candidatos a um tratamento cirúrgico, a miectomia, que remove os músculos responsáveis pela oclusão palpebral.

Espasmo hemifacial

espasmo hemifacialEspasmo hemifacial é um distúrbio do sistema nervoso em que os músculos de um lado do rosto se contraem involuntariamente.

O primeiro sintoma são espasmos intermitentes do músculo da pálpebra, que podem conduzir ao fechamento forçado do olho. O espasmo poderá de forma gradual atingir os músculos da parte inferior da face, fazendo a boca ser puxada para um lado. Eventualmente, os espasmos podem envolver todos os músculos de um lado da face, de forma quase contínua.

O espasmo hemifacial pode ser causado por um vaso sanguíneo muito próximo a um nervo facial, uma lesão do nervo facial ou um tumor, por isso o espasmo hemifacial deve ser considerado um sintoma e a sua causa pesquisada.

O tratamento é a aplicação de injeções de toxina botulínica tipo A ou tipo B nos músculos afetados, o que os paralisa temporariamente. O paciente vai precisar de tratamentos continuados e os benefícios de cada aplicação terão duração de três a quatro meses.

Assista ao vídeo sobre Blefaroespasmo e Hemiespasmo Facial